Um dia, sem motivo, aparente, o seu filho, que é um comilão irremediável, se nega a mamar, no dia seguinte acontece a mesma coisa, e no outro, também. O que acontece? O seu bebê não quer mamar. É uma situação que, durante alguns dias e sem motivo aparente, um bebê que normalmente come bem, recusa o peito oferecido pela sua mãe.

Por que acontece isso?

Os motivos não são conhecidos, mas não é porque o bebê está doente ou porque já não quer mais mamar mais e está pronto para o desmame, como pensam algumas mães. Na realidade as folgas da amamentação geralmente são causadas por uma mudança no ambiente que rodeia o bebê, uma mudança de casa, férias, um estado de nervos ou stress da mãe. E, embora essa mudança seja muito imperceptível, o bebê, se vê afetado e responde se mostrando mais irritável, chorando se é colocado ao peito, se negando a tomar o leite, se cansando em seguida ou se distraindo com facilidade enquanto mama.
Este é um comportamento que o bebê geralmente mostra em todas as mamadas, mas que afortunadamente e se a mãe adotar as medidas adequadas é transitório e desaparece em quatro ou cinco dias.

Técnicas para que volte a mamar:

Estas são as estratégias que se mostraram mais úteis para acabar com as folgas da amamentação. Oferecer o peito ao bebê quando estiver adormecido e relaxado. Nesse momento, ele aceita muito melhor. Mudar a postura para amamentar, as mães podem experimentar a postura de Colson, que consiste em se colocar semi-encostada com uma inclinação de uns 30 graus em relação ao plano da cama, e colocar o bebê apoiado sobre o ventre, de forma que a barriguinha do bebê fique apoiada na barrigada da mãe.

Nessa postura, o bebê tem menos reflexos, as cabeçadas que dão quando recusam o peito e se agarram melhor. Antecipar um pouco as mamadas e dar de mamar com mais frequência para não esperar que o bebê fique muito faminto, porque fica mais irritável. A melhor estratégia para que o bebê volte a mamar sem problemas é relaxar. Se a mãe estiver nervosa, o bebê também vai ficar, e vai se recusar a mamar e ela vai perder a confiança, o que pode causar problemas com a produção de leite (os fatores psicológicos tem uma grande influência nisto) e criar um círculo vicioso que dificulta a amamentação e leve ao abandono da mesma.