Você sabe o que é a ectasia piélica? O médico pode detectá-la durante uma ecografia de controle na gravidez. Este diagnóstico que afeta o bebê pode se resolver de forma espontânea, mas não é sempre assim. Vamos te contar tudo o que você precisa saber.

A realização das ecografias e ultrassons ao longo da gravidez permitem detectar muitas complicações, entre as quais se encontra a denominada ectasia piélica fetal ou hidronefrose, que afeta os condutos excretores que saem do rim provocando uma dilatação na área por onde a urina passa.

Portanto, quando a futura mamãe realiza um ultrassom de controle da gravidez, pode ser que o ginecologista comente que o feto tem ectasia ou dilatação em alguma área por onde passa a urina. O lugar mais frequente para observar uma dilatação é a pélvis renal, embora também possa ser observada em cálices, ureteres, uretra, etc. É detectada em 0,6% e 4,5% das gestações e é mais frequente no sexo masculino e no lado esquerdo. É importante levar em conta que o controle ultrassonográfico que determina que o bebê sofre de uma ectasia piélica é apenas um diagnóstico, já que a maioria destas complicações se resolvem quando o bebê completa alguns meses de vida.

Causas da Ectasia Piélica Fetal:

Quando um bebê é diagnosticado com ectasia piélica, esta tem a ver com os hormônios maternos circulantes ou com o aumento da diurese fetal. Não é necessário se alarmar diante deste diagnóstico, mas você simplesmente deverá seguir um controle ultrassonográfico mais completo à medida que avança a gravidez e, quando o bebê nascer, devem ser realizados todos os controles necessários para saber até onde chega o problema, podendo ser resolvido espontaneamente. Em última análise, o diagnóstico de ultrassom nem sempre significa que o bebê vai nascer com um problema.

As causas da ectasia piélica fetal são muito diversas. Pode ser devido a fatores que ocorrem no feto, como se produz demasiada urina ou se a bexiga não funciona bem, ou à fatores que afetam a mãe, como ter bebido em excesso.

Problemas Que a Ectasia Piélica Pode Causar no Bebê:

Se o recém-nascido sofre ectasia piélica após o nascimento, os médicos vão verificar se sofre de um destes transtornos:

Anomalias que causam obstrução. A mais frequente destas anomalias é um estreitamento da união entre a pélvis e o ureter, que está associada com ectasia de grande tamanho. Também pode se tratar de uma obstrução da uretra.

Patologias não obstrutivas. Em uma percentagem aproximada entre 10% e 20% das ectasias, é possível detectar refluxo vesico-ureteral no bebê. Esta situação se produz quando a bexiga em vez de esvaziar a urina apenas pela uretra, também o faz através do ureter e do rim.

Por outro lado, se o pediatra observa que o recém-nascido está sofrendo um caso febril, sem causa aparente, analisará se pode se tratar de uma infecção urinária.

Testes Para Saber se o Bebê Nasce Com Ectasia Piélica:

Se o bebê nasce com uma dilatação pré-natal superior a 15 mm, será realizado um ultrassom durante os primeiros dias de vida. Dependendo dos resultados, os médicos decidirão se é necessário realizar outros exames de imagem para buscar causas que precisam de cirurgia e para avaliar a função dos seus rins.

Se, no entanto, o bebê sofre de uma ectasia piélica leve ou moderada, será submetido a um ultrassom entre duas e quatro semanas de vida. Neste caso, pode acontecer:

Que tenha desaparecido a ectasia piélica: Neste caso, não haverá nenhum exame mais, a menos que o pediatra indique fazer um acompanhamento em caso de suspeitar de uma possível infecção do trato urinário.

Que a dilatação continua: Neste caso, o acompanhamento da ectasia piélica será realizado de forma individualizada e será o pediatra o responsável por determinar a evolução e tratamentos a seguir.