A primeira semana de vida do bebê é a etapa em que mais mortes infantis se produzem. A revista médica The Lancet publicou uma investigação mediante a qual determinou alguns sintomas para diagnosticar à tempo doenças que podem causar a morte do bebê durante sua primeira semana de vida.

Sintomas de Alerta do Bebê

Dificuldade para se Alimentar

Se o bebê regurgita muito devido ao fato de que tem um excesso de ácido estomacal, se o bebê tem abundante muco espumoso na boca, podem ser um sintoma de uma doença chamada atresia e fístula, que acontece quando o esôfago e a traqueia não estão bem desenvolvidos.

Convulsões

As convulsões podem ser um sintoma de sofrer epilepsia ou de algum transtorno neurológico.

Letargia (quando se move apenas quando estimulado)

Pode indicar muitas doenças, entre elas hipoglicemia, quando a quantidade de glicose no sangue é inferior ao normal.

Temperatura Igual ou Superior a 37,5º ou Temperatura Inferior a 35,5º

Temperaturas elevadas em um recém-nascido podem levar a algumas doenças ou infecções, temperaturas baixas também são perigosas, estas costumam se apresentar principalmente em bebês prematuros.

Respiração Igual ou Superior a 60 Respirações por Minuto

A taxa de respiração de um bebê é de 40 respirações por minuto. Um bebê pode ter uma taxa respiratória superior do que 60 respirações por minuto imediatamente depois de chorar ou se estiver agitado; por outro lado, enquanto dormem, podem deixar de respirar por 5 a 10 segundos e recuperar a frequência respiratória, esses episódios costumam acontecer nesta etapa; mas manter uma respiração agitada a maior parte do tempo é um sintoma que deve ser estudado pelo médico porque poderia ter algum problema respiratório.

Retração Severa do Esterno

Indica dificuldade na inalação do oxigênio retraindo o tórax até as costelas, abaixo do esterno ou acima da clavícula.