A falta de apetite de seu filho de um ano não deve ser motivo de preocupação, a partir dessa idade, os bebês crescem mais devagar e não necessitam comer tanto. Cheque a sua dieta para que só diminua a quantidade, e não a qualidade.

A partir do primeiro ano, o ritmo de crescimento do bebê é mais lento: proporcionalmente, cresce em menor velocidade que nos primeiros 12 meses, portanto, suas necessidades de energia e nutrientes são, também, proporcionalmente menores. Além disso, existem muitas outras coisas atraentes para ele. Seu filho se lança na aventura solitária de explorar tudo o que o rodeia e fica tão absorvido, que perde o interesse por seu velho conhecido, o prato de purê. Estes são alguns conselhos que vão ajudar você a se adaptar a essa nova fase.

1. Mantenha a calma: A falta de vontade de comer pode por a prova os seus nervos. Primeira dica (não deixe que ele perceba isso). Em breve, o seu filho vai se tornar em um pequeno chantagista que utilizará a comida como moeda de troca.

2. Ampliar a oferta: O melhor é que deixe de se preocupar com a quantidade da comida que fica no prato e comece a zelar pela qualidade e a variedade da sua dieta, fazendo com que ele coma diariamente todos os grupos de alimentos, laticínios, carne, peixes ou ovos, cereais, legumes e verduras e frutas. É o melhor momento para introduzir lentamente, os alimentos que ainda não foram provados por ele e dele ir se acostumando com a comida dos maiores, não somente em relação aos pratos, más também quanto aos horários.

3. Torne a refeição divertida: Esqueça o purê e apresente os pratos de maneira diferente, deixe o comer sozinho, embora se suje e compartilhe a mesa com ele.

4. Deixe as preocupações de lado: Lembre-se que você que tem na mesa um pequeno detector de emoções, se em casa se respira um ambiente inadequado, se você está triste ou preocupada com algo, o apetite do seu filho pode sofrer as consequências. Na hora das refeições, os problemas devem ficar de fora da mesa, caso contrário, chamará a sua atenção com uma estratégia infantil, a aversão à comida.

5. Tenha muita paciência: Nenhum alimento é indispensável, se o seu filho rejeita sistematicamente o leite, você pode oferecer a ele queijo ou yogurte, se o problema é com a carne, nada vai acontecer se ele comer somente peixe e ovos. Deixe passar um tempo e ofereça novamente o alimento rejeitado. Os truques de “camuflagem” funcionam você pode fazer um catchup caseiro, com alho poró, abobrinha e acelga, sabiamente camufladas, ficará irresistível, inclusive para os mais ferrenhos inimigos das verduras. O mesmo conselho é válido para os purês, se ele está enjoado deles, comece a oferecer “coisas maiores”, batatas cozida assadas e amassadas com o garfo, gratinadas ao forno, recheadas, frutas inteiras para mordiscar em pedacinhos misturadas com yogurte, cereais no café da manhã, frutas em compota e em saladas.

6. Comer sem truques: Não insista para que o seu filho coma com os truques habituais, a televisão, os bonecos, os contos e inclusive com chantagem emocional com frases como “Mamãe vai ficar muito triste”. A insistência, a rigidez, os horários e a tensão na mesa, são causas suficientes para que o bebê recuse o alimento. Seu filho é saudável e cresce normalmente, confie nele e essa temporada de falta de apetite passará.