1. Tamanho: As roupas são medidas em centímetros de acordo com os meses de idade e com a altura do bebê. A maioria das roupas de recém-nascido começa com o tamanho zero, que equivale aproximadamente a 50 cm. Está numeração de roupa pode ser usada imediatamente, por isso é recomendável comprar roupas menores, com tamanhos a partir de 0-3 meses, o que equivale a 54 cm.

2. Material: As fibras ideais para confecção de roupa de bebê são os tecidos naturais, que facilitam a transpiração sem conter mesclas, como o algodão e o linho. É conveniente evitar ao máximo possível às fibras sintéticas, já que, além de serem quentes, podem provocar irritações na delicada pele do bebê. É preciso descartar também outros materiais como o angorá, porque soltam pelos.

3. Conforto: É um aspecto básico que temos que levar em conta, já que a roupa que comprarmos deverá ser confortável tanto para o bebê, quanto para a mãe, que vai vesti-lo. O mais recomendável são os bodys, os trajes inteiriços e o macacão que vestem de cima para baixo, com o fechamento localizado na frente. As calças devem ser anatômicas com formato arqueado. Devemos evitar blusas com o pescoço muito apertado que podem machucar ao passar pela frágil cabeça da criança. As mangas das roupas devem ser amplas para entrarem nos braços com facilidade. As roupas engomadas devem ser evitadas, pois podem apertar e colocar em risco a segurança da criança.

4. Qualidade: Como nos primeiros meses do bebê não necessitamos de uma grande quantidade de roupas, é aconselhável comprar poucas peças más de boa qualidade. Antes de comprar uma roupa de bebê, devemos vira-la no avesso e revisar as costuras passando o dedo por elas, a costura não deve irritar. Também não deve haver fios soltos. Se houver algum bordado, não deve marcar no lado avesso.

5. Segurança.  A roupa do bebê, também deve ser segura. É importante revisar todos os elementos, como os botões de pressão, verifique se estão bem fixados nas roupas. Devemos evitar adornos como, fitas e laços, que podem sufocar os bebês.