Tanto o excesso como a falta provocam problemas de saúde. O seu filho necessita da quantidade adequada de proteínas ao longo do dia. Nós contamos em quais alimentos são encontradas.

A proteína cumpre uma missão importante em nosso organismo, especialmente nas crianças. As proteínas são os “tijolos” com os quais são construídos os órgãos e tecidos de nosso corpo. Em fase de crescimento como na infância, são essenciais. Mas, também cumprem outras funções importantes: a defensiva faz parte a imunoglobulinas, que se encarregam de combater as infecções, e do transporte de algumas substancias como a hemoglobina e o ferro dos glóbulos vermelhos, cujo déficit pode provocar anemia. Portanto, é necessário consumi-las em quantidade adequada.

Quanto é necessário?

As exigências de proteína variam com a idade. O fornecimento diários deveriam ser até os 6 meses de vida, 2,5 gramas, dos 6 ao 12 meses, de 1,2 a 2 gramas e de 1 a 5 anos, 1,5 a 1,6 gramas. O problema é traduzir corretamente estes números para a dieta. Se você considerar estes exemplos, será muito mais fácil.

  • Um copo de leite integral fornece 8 gramas de proteína.
  • 70 gramas de carne ou frango ou 110 gramas de peixe fornecem 15 gramas.
  • 1 porção de queijo 3,5 gramas
  • 1 iogurte 5,5 gramas
  • 1 ovo 10 gramas

Evite os excessos

No café da manhã, leite integral com cereais, para o almoço um prato de legumes e um filé, e no jantar, uma torta. Se está é a dieta de seu filho, você está fornecendo um excesso de proteínas pouco recomendado. Se isto se repetir diariamente, pode acarretar problemas hepáticos e renais, já que estes órgãos metabolizam grande parte da alimentação.

Durante este processo, se formam substâncias tóxicas para o organismo, e se houver excesso, o fígado e os rins não serão capazes de filtrar todas e então surgirá uma sobrecarga hepática ou desenvolvimento de gordura no fígado e cálculos renais. Além disso, em muitos casos, essas proteínas estão em muitos alimentos com bastante gorduras saturadas, um excesso de proteínas também está relacionado com o risco da obesidade, colesterol elevado e problemas cardiovasculares.

Para evitar, esteja ciente de que:

Não é necessário que o seu filho coma carne, peixe ou ovo, no almoço e jantar, por exemplo, sem que haja um risco de um fornecimento em excesso de proteínas. Portanto, para que a sua comida o sacie, não dê um filé grande, será melhor um médio acompanhado de uma boa guarnição de verduras ou hidrato de carbono. Substitua a carne, o frango e o peixe por um prato de legumes, proteínas vegetais, uma ou duas vezes por semana, e complemente com uma ingestão de proteína animal a noite e/ou lácteos no lanche e no café da manhã. A ingestão calórica diária devem ser divididas da seguinte maneira 55-60 por cento de hidrato de carbono, 30 por cento de gordura, e somente 10-15 por cento de proteínas.