Um bebê gordinho não é, como se pensava, um bebê saudável. A obesidade infantil foi convertida em pouco tempo em um problema de primeira ordem. Talvez você pense que o seu bebê é muito pequeno para pensar sobre isso. No entanto, os hábitos já começam a se instaurados na alimentação que manterá no futuro e, portanto, a prevenção é fundamental agora. E inclusive antes do nascimento.

Se você ou o seu parceiro tem sobrepeso, o pediatra seguirá mais de perto a sua curva de crescimento. Um bebê entre 1 e 3 anos, acima do percentual 85 tem um risco quatro vezes maior de se tornar um adulto obeso, se um de seus pais tiver sobrepeso. Portanto, é preciso cuidado especial com a sua alimentação.

1. Dar de mamar. Os bebês que são amamentados correm menor risco de desenvolver obesidade dos que não são, e este efeito protetor é maior quando a amamentação é prolongada. O bebe ganhar pouco peso, não é um fator suficiente para dar a mamadeira (de apoio).

2. Não introduza nenhum alimento distinto do leite antes dos 6 meses. Nem sequer suco ou chá sem açúcar, não são necessários e assim tomam menos leite.

3. Evite adicionar também cereais a sua papinha ou mamadeira.

4. Até o primeiro ano, não coloque mais do que 30-40 gramas de frango ou carne em seus purês. O excesso de proteínas é um fator de risco para desenvolver a obesidade.

5. Quando introduzir a fruta, tente não substituí-la por sucos. A fruta tem fibra, o suco não, é muito menos calórica uma laranja que um copo de suco de laranja, é bom acostuma-lo com a fruta inteira.

6. Mesmo que você acredite que “ele não tem comido nada”, não o force a comer. Os lactantes tem um delicado mecanismo de regulação de apetite que o impede de tomar mais do que precisam. Se você forçar, esse mecanismo é alterado. Muitas crianças gordinhas foram um dia bebês obrigados a terminar o prato.