Os reflexos do recém-nascido são respostas automáticas. Alguns podem ser observados assim que o bebê nasce outros algumas horas depois. Descubra os principais e confira o seu funcionamento com o bebê.

Para que servem os reflexos?

Porque nós nascemos com estes curiosos reflexos? Nada se sabe com certeza. Exceto o da sucção e busca, nenhum outro reflexo parece servir para nada. No entanto, algumas teorias tentam explicar a sua origem. Pode ser respostas fundamentais para a sobrevivência do ser humano em épocas remotas e repetidas com tanta frequência no passado, que ficaram registradas em nossos genes. Ou ser simples respostas de prevenção, de medo ou de defesa contra supostas agressões, já que quase todos são realizados em estado de flexão muscular.

Para se alimentar. Reflexo da busca pelo seio. Ao tocar um extremo da boca do bebê, ele gira a cabeça para o lado. É realmente útil estimulá-lo para que abra a boca para pegar o peito. Existente a partir da 32 semanas de gestação é especialmente intenso nas primeiras horas depois do parto e também quando o bebê está acordado.

Reflexo da sucção. Alcança a sua maior intensidade logo após o parto. Ele é comprovado introduzindo a sua mãozinha ou um dedo em sua boca e observando que ele coloca a língua por debaixo e faz pressão contra o paladar sugando. O reflexo da sucção não está totalmente amadurecido até a 36 semanas de gravidez, o que explica as dificuldades para se alimentar que os prematuros podem ter.

Reflexo da pressão palmar. Ao introduzir um dedo em sua mão, automaticamente ele aperta os dedos com força. A pressão é tão forte que é possível o levantar assim com os dedos. No entanto, está pressão dura somente alguns segundos, por isso você deve ter muito cuidado ao colocá-la em prática. Este reflexo desaparece até o terceiro mês.

Reflexo da pressão plantar. Se pressionar com um dedo a base do dedão do pé, todos os demais dedinhos se dobram como se quisessem deter o nosso. Este reflexo desaparece nos 8 meses.

Reflexo da Marcha. Ao segurar o bebê por debaixo das axilas e aproximar os seu pés a uma superfície firme, ele os levanta flexionando os joelhos alternadamente, em passos claros. Aparece a partir das primeiras 48 horas e desaparece entre a terceira e a sexta semana de vida.

Reflexo de encurvação do tronco. Se você pressionar a lateral da coluna, enquanto o bebê estiver deitado de bruços, o recém-nascido se torce até esse lado com todo o seu corpinho. Este reflexo desaparece em torno dos dois meses de vida. A partir do sexto mês, o bebê volta a responder diante do estimulo.

Reflexos de Moro. Também chamado de abraço. Quando o bebê se sobressalta, os seus braços e pernas giram para fora e para frente em um movimento lento com os dedos estendido, como se estivesse dando um abraço ou se protegendo do perigo. Para explora-lo o pediatra deixa cair para trás a cabecinha do bebê, ou dá um pequeno golpe perto dele para provocar o sobressalto. Este reflexo desaparece até os 4 meses.