Existem muitos mitos sobre os primeiros passos do bebê que são falsos. Aqui desmarcáramos os mais difundidos e os mais falsos, sobre os primeiros passos do bebê e sua capacidade de andar.

  • Se um bebê tardar a andar, não se sairá bem nos esportes. Nem sempre. São várias as razões que explicam este atraso, e nem todas tem a ver com a habilidade psicomotora.
  • O bebê começa a andar pronto, será um bom desportista. Não é verdade. Os argumentos são os mesmos que os do mito anterior.
  • Vai custar mais para um bebê gordinho dar os seus primeiros passos. Nem sempre. Essa capacidade depende mais do estado muscular do bebê do que de seu peso. Mas é verdade que às vezes um bebê com baixo tônus muscular também é gordinho, porque ao se mover menos consome menos calorias.
  • Se ele não engatinha, é porque tem algum problema psicomotor. Está idéia não é verdade. Muitos bebês saltam a etapa de engatinhar. Mas é verdade que engatinhar favorece alguns aspectos psicomotores, como preparar o bebê para a marcha e melhorar a coordenação.
  • O bebê pode danificar a sua coluna se ficar em pé no berço antes dos oito meses. Também não é verdade. Se ele o fizer por si mesmo, sem forçar, não tem problema. Mas se ele não se fizer, espere até os dez meses para ele ficar em pé, quando os quadris já estão preparados para suportar o seu peso.
  • Se ele andar depressa demais, vai arquear as pernas. É uma meia verdade. Os bebês, que começam a andar, andam com as pernas abertas, e ainda mais, se eles andam muito depressa. A razão é que o seu sistema musculoesquelético não está suficientemente desenvolvido. À medida que ele for crescendo, este “problema” irá desaparecer.