O seu filho, não se separará da chupeta, durante o seu primeiro ano. Mas os benefícios da chupeta se tornam inconvenientes se o seu uso se prolongar demais.

Utilize a chupeta:

Para que não interfira na amamentação, espere para oferecê-la até que a secreção de leite esteja regulada. Escolha a chupeta de acordo com a sua idade. O bico deve ser de borracha se o seu filho já tem dentes, deve ter o disco rígido para impedir de coloca-la na boca, e o anel deve ter ao menos 14 mm de diâmetro.

Se não quiser que o seu filho perca a sua chupeta, não a coloque em seu pescoço com uma corrente. Use um alfinete, fixado na roupa.

Até que complete os quatro meses, esterilize a chupeta com frequência. Se sujar, não coloque em sua boca. Melhor lava-la na torneira. Mude a chupeta quando estiver deteriorada, se ficar quebradiça, o bebê poderá se engasgar com os pedaços.

Quando tirar a chupeta:

A partir do primeiro ano, a necessidade e o prazer de sugar diminuem. Suas mãos substituem a boca como um órgão tátil e com isso, vai perdendo o interesse pela chupeta. Para alguns bebês, a separação pode custar mais. Por isso, é importante ir colocando limites à sua utilização. Progressivamente, reserve a chupeta para os momentos especiais, como a hora de dormir, ou quando estiver agitado. Por volta dos dois anos, tente fazê-lo ver que já é muito grande para usar chupeta, porque isso pode motiva-lo. Se ele resistir a se despedir dela, não o repreenda. Espere e aproveite algum momento especial para fazer um trato com ele, e troca-la por algo que ele goste muito e esteja associado ao fato dele estar ficando mais velho.

A boa chupeta:

Chupar a chupeta, trás muitas satisfações ao seu bebê, o diverte, o consola, quando está triste ou doente, proporciona segurança e o ajuda a dormir. Ela se transforma em um objeto afetivo, que o conforta e também ajuda a evitar que o bebê mame demais, se ele se alimenta com mamadeira, pois sacia o seu instinto de sucção, sem que ele tome leite demais. Os bebês prematuros se habituam mais facilmente a alimentação oral, se logo após a alimentação por sonda, utilizam a chupeta. E também, segundo algumas estatísticas, a morte súbita é menos frequente em bebês que usam chupeta.

A chupeta ruim:

Se o seu bebê a usar até os dois anos, a chupeta pode provocar deformações no paladar e problemas odontológicos. As consequências podem ser uma má oclusão da boca, uma incorreta posição dos dentes ou má formação da mandíbula. Por outro lado, o seu uso está relacionado com a otite infantil. A sucção da chupeta, durante o terceiro ano de vida do seu filho, também pode dificultar a sua relação com as outras crianças e inclusive, atrasar a linguagem e o aprendizado.