Se você souber escolher, um sorvete pode ser além de uma agradável surpresa para o seu filho, um alimento completo para lanchar duas ou três vezes por semana nas tardes mais quentes. Descubra qual é o sorvete adequado. O lanche é o momento ideal para aproveitar os sorvetes, a maioria ricos em gorduras e açucares e, por tanto muito apreciados.

Especial o suficiente para dar água na boca. Como a variedade é enorme, é preciso se decidir, leia os ingredientes e descarte os muitos ricos em gordura, os que contêm pedacinhos de frutas secas, que poderia sufocar, ou ingredientes que a criança ainda não provou kiwi, morango, frutas tropicais e aqueles com excesso de corantes.

Para pequenos gulosos:

Os rótulos dos sorvetes distinguem entre os de cremes, os de leite e os de água. Se o seu filho pertence a um grupo de gulosos, ofereça estes últimos. Contém menos gorduras que os de creme, e os com leite são muitos calóricos. Os corantes são abundantes nas maioria deles. Para evita-los, ao menos em parte, escolha sorvetes em vez de picolés de água. Os sorvetes contêm no mínimo uns 15% de frutas, enquanto que os de água a fruta é substituída por aromatizantes, que dão o sabor característico, e a cor é alcançada de maneira artificial.

Para inapetentes e relutantes em leite:

Escolha os de creme ou leite, mais ricos em nutrientes, especialmente, cálcio, que os anteriores, mas em pequenas quantidades para que não perca a fome antes do jantar. Os melhores para as crianças são os de leite, que contém gordura láctea em menor proporção que os de creme, em torno de uns 2,5%, frente aos 8.9% dos de creme, e também a gordura pode não ser láctea e derivada de óleos vegetais hidrogenados. A vantagem destes sorvetes é que fornecem proteínas de qualidade, cálcio, as vitaminas A e D do leite, embora sejam menos cremosos e atraentes dos que os de creme.