Previnem doenças, fortalecem nossas defesas e nos ajudam a digerir os nutrientes da dieta. Descubra as vantagens dos probióticos.

Os probióticos são bactérias vivas que são adicionados a numerosos produtos alimentícios, principalmente iogurtes e leites fermentados. Eles são capazes de “se instalar” no intestino e atuar, junto com o restante de micro-organismos que vivem nele, como uma barreira protetora frente a enfermidades características da infância, como infecções respiratórias, alergias ou diarreias. Os mais conhecidos são os lactobacilos e as bifidobactérias, que começam a colonizar a parede intestinal a partir dos primeiros dias de vida.

Para que servem os probióticos?

Em nosso intestino convivem muitas espécies bacterianas benéficas: o nosso “ecossistema intestinal”, que desempenha funções básicas para a saúde, por um lado, se encarregam de metabolizar os nutrientes da dieta, por outro, interferem no desenvolvimento e modulação do sistema de defesas. Este ecossistema pode se alterar por muitos motivos e é fortemente influenciado pelo tipo de alimentação. Tomando os probióticos ajudamos a manter em bom estado nossa flora intestinal.

Como atuam os probióticos?

De várias maneiras, alguns produzem substâncias antimicrobianas, outras competem com as bactérias nocivas, e outras participam na constituição de nosso sistema de defesas. Para aproveitar os seus benefícios, é necessário consumir probióticos de maneira regular, pois só assim é possível garantir a sua presença constante no intestino.

Quem precisa de probióticos?

Eles são especialmente necessários quando o equilíbrio do ecossistema intestinal é alterado, algo que ocorre com frequência por causa do stress, dos maus hábitos alimentares ou o consumo de antibióticos.

Quais alimentos que contém probióticos?

Estão presentes nos iogurtes e em alguns queijos. Também em alguns vegetais fermentados, como o miso, preparação a base de soja fermentada, ou o chucrute. Mas os probióticos tem uma vida útil limitada, devem ser mantidos refrigerados e resistem mal ao “ataque” dos ácidos gástricos no processo da digestão. Por essa razão, os leites fermentados e iogurtes atuais fornecem mais espécies de probióticos com bifidobactérias e outro tipo de lactobacilos que são mais resistentes que os tradicionais. Também existem fórmulas para crianças enriquecidas com probióticos. E finalmente, são comercializados na forma de suplementos, em cápsulas ou pastilhas, que são uma boa opção para os bebês com problemas de alergia a proteína do leite, é claro, consulte sempre o pediatra antes de dar ao seu filho.

Benefícios dos probióticos:

Previnem a diarreia, especialmente a causada pelo rotavírus. Fazem isso limitando a superfície da mucosa intestinal, em que a infecção ocorre e reparando a mucosa danificada pelo vírus, a duração e a gravidade da diarreia diminuem. Também reequilibram a flora intestinal alterada pela utilização de antibióticos e evitam a diarreia causada por este motivo em 75% dos casos. Além disso, são eficazes na prisão de ventre causada por um desequilíbrio no ecossistema digestivo.

Protegem frente às infecções urinárias e respiratórias, incluído a otite. Alguns bifidobactérias produzem substancias antibacterianas e incrementam a atividade das células defensivas e em alguns estudos descobriram que as crianças que frequentam a creche têm menos infecções deste tipo quando tomam leites enriquecidos com probióticos.

Previne dermatite e alergias alimentares, inclusive na gravidez. Foi comprovado que, quando as grávidas alérgicas tomam probióticos no último mês de gravidez e no período da amamentação, o risco de que o seu filho desenvolva a doença e sofra dermatite nos primeiros meses diminuem consideravelmente. Nos bebês com dermatite, as áreas de eczema são reduzidas e tendem a desaparecer quando se acrescenta probióticos à sua dieta. E nessas crianças também parece reduzir o risco de sofrer de faringoconjuntivais e asma em idades posteriores. Reduzem o risco de cárie. Competem com as bactérias envolvidas não aparecimento das cáries dentárias.