Identifique as causas. O medo, a insegurança e a baixa autoestima, dificultam o relacionamento com os outros, a timidez tem muitas causas. Algumas crianças são tímidas de maneira inata, embora aprendam logo a supera-la. No entanto, em alguns caso este traço pode se converter em um problema. A timidez é mais frequente em duas etapas do desenvolvimento da criança:

  • Até os 8 meses, muitos bebês se mostram temerosos com os desconhecidos. É a famosa “crise dos 8 meses”.
  • Até os 4-5 anos aparece a timidez relacionada com a auto-observação, a criança toma consciência de si mesmo como um ser social exposto as críticas dos demais.

Diversos psicólogos concordam em afirmar que a timidez tem um componente hereditário. Mas em muitos casos a causa é mais relevante em um isolamento social durante a infância. É importante não superproteger a criança. Pais dominantes e super-protetores, geralmente, formam adultos com personalidades temerosas e inseguras.

Como ajudar:

  • Reforce a sua autoestima. Demonstre afeto e aplauda as suas conquistas por menores que pareçam.
  • Incentivá-lo para o teatro ou algum esporte praticado em equipe. São atividades que ajudam a romper o gelo entre as crianças.
  • Evite compara-lo com outras pessoas e apague de seu vocabulário frases como “outra vez o que você fez de errado”, “que idiota” ou “você não pode”.
  • O motive, mas não o force a realizar atividades que não deseja. Estimule a sua autonomia. Quando tiver 4 ou 5 anos deixe que escolha a sua roupa, que se penteie sozinho e que ordene o seu quarto.
  • Aumente o contato com as outras crianças. Convide os seus amigos à sua casa. Aos primeiros sinais de timidez excessiva, não hesite em consultar um psicólogo para resolver o problema.