O medo do escuro aparece na hora de dormir e impede a criança de conciliar o sono. O medo do escuro, que costuma durar até os cinco anos ou mais e é o equivalente ao medo da solidão, é insuportável para a criança. No entanto, ele mesmo será capaz de criar mecanismos para superá-lo, magia, o ursinho de pelúcia ou qualquer objeto de apego que atue como um anjo da guarda. É conveniente observar que esta conduta não se torne compulsiva e domine a criança.

O que causa o temor?

Em geral, é a própria mente da criança que cria esse perigo irreal. Quando perguntado o que tem no escuro para ele temer, não saberá responder e vai recorrer a explicações sobre ruídos estranhos, seres imaginários ou inclusive a possíveis visitas como a de ladrões. Alguns dos temores surgem de sua imaginação e outros estão relacionados com a informação que recebe através da TV, comentários dos adultos ou ameaças de seus próprios pais.

Por isso, é tão importante, que as brincadeiras ou os programas de televisão visto por eles sejam controlados pelos pais. E quanto às ameaças de seus pais, frases como “se não comer, o homem do saco virá buscá-lo” ou ameaças como o “quarto escuro”, são comportamentos errôneos que somente conseguem eliminar a estreita linha que separa o medo da fobia.

Ajude a controlar o seu medo:

A criança com medo do escuro não quer dormir sozinha e inventa mil desculpas. Os pais têm que tranquilizá-la e explicar o irracional desse medo. Compre uma luminária com uma lâmpada fraca para que a claridade não o impeça de dormir e permita que ele durma com todos os brinquedos que quiser. Ser intransigente somente aumentará a sua ansiedade quando se aproximar a hora de dormir. No entanto, se a fobia for muito intensa, e interfere no desenvolvimento de um comportamento instável é recomendável consultar um psicólogo.