Os psicólogos insistem em que é melhor reforçar os comportamentos positivos de nossos filhos do que castigá-los. Estas técnicas serão úteis quando tiver que repreender. No lugar de castigos, consequências educativas. Esse é o conselho dos especialistas quando o seu filho se comportar mal.

1. A ilusão da dupla alternativa. Se ele não quer estudar, não insista, basta perguntar naturalmente o que irá rever em primeiro lugar. Assim criamos na criança a ilusão de que é ela quem escolhe livremente o que fazer o que fará ela se sentir mais valorizada.

2. A técnica de fora do jogo. Útil com as crianças desordeiras, agressivas e desobedientes. Se ela pular no sofá, a tiramos imediatamente e a sentamos por um tempo em uma cadeira. Você pode usar cartões como os árbitros do futebol para que a criança saiba da “expulsão” com mais facilidade. O tempo de isolamento deve ser de um minuto por ano.

3. A correção. Suponha que a criança restitua o dano causado ou que repita o que fez de forma alternativa e positiva.

4. O sistema de pontos. Premiar os comportamentos positivos da criança com pontos de determinadas forma ou cores e as negativas com uma cor diferente. Para funcionar é essencial saber quantos pontos ela deve acumular para ganhar um prêmio, que não pode ser material, uma excursão em família ou um lanche com os amigos.

5. O pacto. É útil se a criança for maior de 10 anos. Escreva um contrato para mudar um comportamento da criança e dos pais, pode ser que o incomode entrar em seu quarto sem bater na porta. O contrato deve estabelecer os privilégios que obterão se mudar de atitude e a sanção se ela não for respeitada.

6. A consequência desagradável. Associa um comportamento não desejado com uma consequência desagradável. Por exemplo, se ele não acabar os deveres, terá que levantar mais cedo para terminá-los, se ele não tomar leite no café da manhã, ele será servido no lanche. Dessa forma o que causou o desagrado não vai fazê-lo recair.