O seu filho será o primeiro a demonstrar que está preparado para viver o que para ele será uma experiência inesquecível, dormir na casa de um amiguinho. Dê ao seu filho a possibilidade de viver experiências longe dos pais ajudará a promover a sua autonomia e as suas habilidades sociais. Mas também, para ele passar a noite fora de casa será inesquecível.

Se tiver dúvidas se o seu filho está pronto para isso, preste atenção porque nele estão as chaves que vão indicar se este é o momento adequado. Quando ele estiver pronto, ele mesmo dirá. Algumas crianças estão acostumadas a dormir fora de casa, com avós, tios e outros, embora não tenham vivido está experiência, tem um caráter mais extrovertido e aberto.

No geral, entre os seis e os oito anos, qualquer criança estará preparada para viver esta aventura, em que partilhará confidências e brincadeiras, e descobrirá uma forma diferente de se relacionar com os seus amigos fora da escola. Além disso, deixá-lo passar a noite fora é uma maneira de você mostrar que confia nele, o que reforçará a sua autoestima.

Converse com ele antes de sair:

Um bom momento para dar instruções é ao prepararmos as coisas que ele vai levar para a casa de seu amigo. Ao fazer isso, aproveite para perguntar como ele se sente e também para encorajá-lo dizendo como é agradável o que vai acontecer. Por outro lado é também positivo recordar que se quiser chamá-la, pode dizer aos pais de seus amigos e que deve obedecê-los enquanto estiver com eles.

Diga quando você vai buscá-lo, porque quanto mais informações ele tiver de como vai transcorrer o dia, mais seguro ele se sentirá. Mas também não dê muita importância para que ele veja como algo normal. Converse com os pais de seu amigo sobre as rotinas dele, o que ele faz antes de dormir, as comidas que ele não gosta ou a forma de resolver dificuldades que possam surgir.

E se ele chorar?
Apesar de ele ter adorado a idéia, é possível que não saia bem. Quando se despedir dele ou na metade da noite, ele se dará conta de que durante esse tempo você não vai estar ao lado dele, e pode surgir a ansiedade pela separação. Se ele não parar de chorar ou não quiser comer, estará indicando que não está preparado para enfrentar esta experiência. Cada criança precisa de um tempo para se adaptar a novas situações e, na medida do possível, devemos evitar que as vivam de maneira traumática. Se isto é o que aconteceu com o seu filho, fale com ele e pergunte quais são os seus medos. Neste caso, é positivo que o acompanhe nas próximas saídas, mas, pouco a pouco, você vai ter que se desvincular. Lembre-se de que a superproteção não favorece o seu desenvolvimento. Também é importante que você não exagere algumas reações que são normais de crianças e controle os seus temores. Do contrário, ele notará o seu nervosismo e suas dúvidas e se sentirá mais inseguro.