As causas da obesidade são uma combinação de diversos fatores, principalmente uma dieta pouco saudável e o sedentarismo, mas cada vez mais os estudos apontam também a falta de sono em crianças como um fator determinante. Um estudo recente realizado por um grupo de pediatras especializados em endocrinologia observou que as crianças que dormem menos de 10 horas têm um maior risco de desenvolver obesidade.

O estudo publicado no International Journal of Obesity, teve a participação de 300 crianças entre 5 e 10 anos para averiguar se a falta de sono tem alguma relação com a obesidade infantil. Eles observaram que dormir menos do que o recomendado, dez horas para as crianças e no mínimo oito horas para os adolescentes, está associado com um maior risco de obesidade. Ou seja, as atividades físicas não seriam os únicos fatores responsáveis.

A explicação é que dormir pouco ativa os genes responsáveis pela obesidade. Estudos anteriores apontam que a falta de sono provoca alterações hormonais no organismo que reage gerando um maior apetite. Quando estamos despertos os hormônios que favorecem o apetite são ativados, enquanto durante o sono são ativados os hormônios que inibem o apetite.

O sono é sem dúvida muito importante para um desenvolvimento saudável da criança, mas além de estabelecer horários de duração seria importante saber se a maneira de dormir (alterações em padrões de sono) também tem influência como fator de risco de obesidade em crianças.