É certo que os avanços médicos permitem que as possibilidades do bebê sobreviver sejam cada vez mais altas, chegar ao mundo antes do tempo trás riscos para a sua saúde e o seu desenvolvimento.

Identificar as causas que provocam um parto prematuro e tentar atuar sobre estas é fundamental para conseguir que seu filho nasça no momento que corresponde.

Idade materna. Gestações abaixo dos 20 anos ou acima de 34 anos estão relacionados com maior probabilidade de partos prematuros. Mas não é a idade em si mesma o fator determinante, mas as condições que a acompanham. Assim, as mães adolescentes tem mais risco porque estão sujeitas a mais estresse, menos apoio familiar e realizam um menor acompanhamento médico da gestação. Enquanto isso, as maiores de 34 anos constituem um grupo de risco porque se submetem com mais frequência a tratamentos de reprodução assistida que resultam em gravidez múltipla.

Partos prematuros prévios. O fator mais determinante. Se você já sofreu anteriormente, o risco de dar a luz antes do tempo aumente 2,5 vezes.

Gravidez Múltipla. Gestar mais de um bebê ao mesmo tempo é determinante na hora de estimar a data do parto. E 55 por cento dos nascidos vivos de gestações múltiplas chegam ao mundo de maneira precoce.

Infecções no trato urinário. Este problema desempenha um papel principal em casos de prematuridade, principalmente em gestações menores de 32 semanas. E o problema é que estas infecções são frequentes durante a gravidez devido às mudanças anatômicas e hormonais que são produzidas neste período.

Anomalias uterinas. Se sofre de malformações da cavidade uterina, como a presença de incompetência ístmico cervicais, o controle será de maneira exaustiva já que podem estar relacionados com a prematuridade.

Ruptura prematura da membrana. Até 1 de cada 4 partos prematuros se devem a esta complicação. A causa da ruptura não é muito clara, e pode ser devida a debilidade estrutural, excesso de pressão pelo líquido amniótico ou pelo feto, e em outros casos, por invasão bacteriana. A mais comum é a vaginose bacteriana, uma flora vaginal anormal que contamina a parede da bolsa amniótica e termina rompendo-a, mas também foi observado uma relação entre infecções periodontais e prematuridade.

Enfermidades maternas. A hipertensão, diabetes, mellitus, cardiopatias, problemas endócrinos e metabólicos, nefropatías, anemias a transformam em uma gravidez de risco.

Maus Hábitos. Consumo de drogas, álcool e principalmente, o fumo são prejudiciais para a boa gestação. Então, se você é fumante, o risco de parto prematuro é duplicado.

O Estresse. As dificuldades econômicas, trabalho intenso, baixo nível social provocam ansiedade continua, alteram os hormônios e provocam ações diretas sobre o útero e o colo de útero.

Anomalias placentárias. Problemas que afetam tanto a implantação como o funcionamento da placenta são influentes como causa do parto pré-término. Somente a placenta previa que continue com sangramento ou a insuficiência placentária que daria lugar a um crescimento intrauterino retardado do bebê, seriam as anomalias a considerar como agentes que poderiam adiantar o parto.