Do colostro ao leite. No final da gravidez, o seu peito já está preparado para produzir leite. E uma vez expulsa a placenta após o parto, começará uma revolução hormonal para que você possa alimentar o seu bebê. Dois hormônios são responsáveis pela secreção do leite, a ocitocina, fundamental também durante o parto, e a prolactina. O leite é produzido nos alvéolos da mama, que são cobertos por células musculares.

Quando o bebê suga, estas se contraem e o líquido corre para os seios lactíferos localizados atrás da aréola e do mamilo até chegar até a boca. Estes hormônios são necessários para a amamentação e são liberados principalmente pela sucção, mas muitas vezes basta a proximidade de seu bebê para que o processo seja iniciado. Muitas mães relatam que basta o choro do bebê, para o seu leite escorrer para o exterior.

Após 2 semanas:

Nos primeiros dias a sua mama não fabricará grandes quantidades de leite. Então, não pense que não é capaz de alimentar o seu bebê. Os escassos 50 ml que são produzidos no principio contém todos os nutrientes que o seu filho necessita. E não é somente isso, este primeiro leite concentrado, o chamado colostro, tem um grande valor e elevada proporção de imunoglobulinas e leucócitos, que protegem contra as possíveis infecções. Será até o terceiro ou quarto dia após o parto, ou mais tarde, se você tiver dado a luz por cesariana, quando começa a notar a “subida do leite”.

Um congestionamento temporário das mamas irá avisa-la. E depois disso, passará uns dias em que, provavelmente, a produção seja excessiva, o seu peito precisa de tempo para regular a sua produção de acordo com a demanda de seu filho. Após 15 dias, o leite estará mais maduro e pronto para beber.