Não tomar mais do que duas xícaras por dia. Um novo estudo relaciona o consumo elevado de cafeína na gravidez com o nascimento de bebês abaixo do peso. Os pesquisadores recomendam não tomar mais do que duas xícaras de café por dia. Numerosos estudos tem relacionado o abuso da cafeína durante a gravidez com determinadas complicações na gestação, como a hipertensão, ou riscos para a saúde do feto.

Agora uma nova pesquisa vem confirmar essa hipótese, é um trabalho publicado no British Journal of Medicine, que revela que ingerir muito café na gravidez pode fazer o bebê nascer abaixo do peso. O estudo, desenvolvido pelas Universidades de Leicester e Leeds, ambas do Reino Unido, com a participação de 2500 mulheres grávidas, mostrou que aquelas que consumiam mais de 200 miligramas de cafeína por dia tinham mais probabilidades de ter bebês com menor peso. Essas 200 miligramas equivalem a duas xícaras de café, que é justamente o novo limite de consumo diário recomendado pela Food Standards Agency britânica.

No entanto, o diretor científico desta agência, Andrew Wadge, tranquilizou aquelas gestantes que tomaram três xícaras diárias ao longo da sua gravidez, já que, segundo foi afirmado, o risco, neste caso, é mínimo. Além disso, a agência recomendou não consumir mais de quatro xícaras de chá por dia.

Cafeína na gravidez:

Se você é viciada em café e está grávida, deverá reduzir o seu consumo durante a gestação. A cafeína (proporcionada pelo café e por alguns refrigerantes) pode atravessar a placenta e chegar até o feto, modificando a sua frequência cardíaca e a sua respiração. Embora não tenha demonstrado uma relação entre o consumo de cafeína e problemas no momento do nascimento em humanos, este efeito teratógeno foi comprovado em animais que receberam doses massivas de cafeína.

Por isso, parece conveniente moderar o consumo de café de até no máximo duas xícaras (de 150 ml) por dia durante a gravidez e a amamentação. O consumo moderado de café deverá ser maior se você consumir também chá e outras bebidas com cafeína.