Acariciar o seu gato, cuidar do jardim e o consumir carne crua são atividades que, em princípio, não representam qualquer risco, ao menos que você não tenha anticorpos para a toxoplasmose e esteja grávida. Os riscos não são para você, mas para o seu futuro filho. A toxoplasmose é uma doença causada por um protozoário intracelular denominado Toxoplasma Gondii, muito comum nos mamíferos e nas aves. Um número alto de seres humanos já a contraíram, muitos sem se dar conta.

Os sintomas são tão leves que, quando surgem, geralmente são confundidos com uma simples constipação, dores musculares, cansaço e falta de apetite. O problema surge se a infecção se apresenta durante a gestação, pois a toxoplasmose pode atravessar a placenta e provocar consequências graves para o feto.

Como nos infectamos:

A reprodução sexual do parasita ocorre apenas nas células que revestem o intestino dos gatos, hospedeiros definitivos do toxoplasma. Ali são produzidos os ovos, que são eliminados pelas fezes. Estes ovos são ingeridos por hóspedes intermediários, como os seres humanos, bovinos, porcos, carneiros e galinhas. As pessoas podem se infectar por quatro vias, por contato oral com terra, água ou hortaliças infectadas, comendo carne infectada, por contato oral com fezes de gato infectadas ou por transmissão congênita.

Como é detectada:

Um exame e sangue, chamado de sorologia de toxoplasmose, indicará a seu ginecologista se você está imunizada ou não contra a toxoplasmose. Se você foi infectada a mais de 6 meses, as suas preocupações neste ponto acabaram. Você e seu filho estão protegidos. Mas se você não for imune, deverá tomar precauções e seguir um controle sorológico durante a gravidez. Se em alguns desses exames se detectarem a suspeita da infecção, geralmente é administrado na mãe um tratamento com remédios em doses fracionadas até o final da gravidez, para diminuir o risco de infecção para o feto. Para determinar se o feto foi infectado, é necessário um exame de ultrassom e, é necessário também, provas como a cordocentese e amniocentese.

A melhor opção é a prevenção:

Se a sua análise mostra que você não tem anticorpos, você precisa tomar uma série de precauções durante a gravidez.

Animais: Se você tem um gato em casa, consulte o seu veterinário para que ele informe se o animal tem toxoplasmose ativa. Se for assim, você deve separá-lo durante estes meses. Se ele não apresenta a doença, será suficiente adotar uma série de medidas higiênicas, peça para alguém limpar a sua caixa de areia todos os dias com água quente, uma vez que o cisto da toxoplasmose necessita de 48 horas em contato com o exterior para passar do estado infeccioso.

Se você precisar limpar a caixa de areia, utilize luvas de plástico e lave bem as mãos após terminar a limpeza. As galinhas e os pombos não são uma boa companhia durante a gravidez.

Jardinagem: Se você gosta de jardinagem, se proteja com luvas de borracha e lave as mãos depois de remover a terra dos vasos, já que podem estar contaminada com as fezes dos gatos.

Carne: Elimine a carne crua da sua alimentação. Ela pode ser frita cozida ou assada, como você mais gostar, mas sempre bem feita. Os animais herbívoros se alimentam das plantas em cuja terra pode conter fezes de gatos. As bactérias morrem a uma temperatura de 54 C. Além disso, não se esqueça de limpar bem as superfícies e os utensílios da cozinha onde a carne permaneceu.

Embutidos: Não consuma embutidos fabricados com carne crua.

Frutas e Hortaliças: Antes de consumir frutas e hortaliças, lave-as bem com água corrente e um pouco de água sanitária para eliminar possíveis cistos.

Leite e iogurtes: Rejeite os não pasteurizados, eles podem ser veículo de transmissão do parasita e de outras doenças.

Peixes: Raramente entram em contato com a toxoplasmose, portanto, o seu consumo, inclusive cru, não está relacionado com este parasita.